Why the majority is always wrong | Paul Rulkens | TEDxMaastricht

Why the majority is always wrong | Paul Rulkens | TEDxMaastricht

SUBTITLE'S INFO:

Language: Portuguese

Type: Human

Number of phrases: 196

Number of words: 1396

Number of symbols: 7270

DOWNLOAD SUBTITLES:

DOWNLOAD AUDIO AND VIDEO:

SUBTITLES:

Subtitles prepared by human
00:00
Tradutor: Jay Palmer Revisor: Leonardo Silva Em 1942, Albert Einstein dava aulas na Universidade de Oxford. Certo dia, ele preparou um exame de física para sua classe de estudantes seniores. Enquanto caminhava pelo campus com seu assistente, o assistente olhou para Einstein e disse: "Dr. Einstein, este exame de física que você preparou para a classe de estudantes seniores, não é exatamente igual ao exame que você deu a esta mesma classe no ano passado?" "Sim, é o mesmo", disse Albert Einstein. "É exatamente o mesmo." "Mas Dr. Einstein, por que você faria isso?", disse o assistente. "Bom," disse Einstein, "As respostas mudaram." (Risos) As respostas mudaram. Ou seja, o que valia em 1942 vale até os dias de hoje. Vivemos em um mundo onde as perguntas são as mesmas, mas as respostas mudaram. Em outras palavras: o que nos trouxe até aqui não nos levará para adiante.
01:11
Se desejamos obter resultados diferentes dos anteriores, precisamos começar a fazer coisas de outra maneira. A questão-chave hoje é: existe lógica na insanidade? Existe uma maneira de fazermos algo inconcebível e assim mesmo criarmos resultados notáveis? A boa notícia é que a resposta pra esta pergunta é: "sim". Pois o que vou lhes explicar hoje é que ao tratarmos de alta performance, a grande maioria está sempre errada, e como usaremos isso para obter o que desejamos com os recursos que temos. Mas primeiro, deixa eu contar algo interessante pra vocês, uma observação interessante. Quando pessoas, times e organizações atingem os seus limites, eles tendem a fazer uma destas duas coisas: ou eles fazem mais do mesmo, ou eles fazem menos do mesmo. É muito raro vermos alguém tentar algo totalmente diferente. É interessante analisar os dados, pois aproximadamente 3% das pessoas tentam fazer algo diferente.
02:18
Os restantes 97% continuam a repetir o que faziam, como se fossem robozinhos com bateria infinita. Por que isso acontece? Para entendermos melhor precisamos responder outra pergunta. Precisamos nos perguntar: "Qual é o objetivo do pensar?" Qual é o objetivo do pensar? Se perguntarmos isso a um cientista de cérebro, o cientista responderia: "Bom, o objetivo de pensar é justamente parar de pensar". O objetivo de pensar é parar de pensar. O que isso significa? Significa isto: pensar demanda muita energia. Gastamos muita energia pensando. Então quando pensamos, fazemos isso pelo menor tempo quanto possível, e retornamos ao nosso piloto automático. Passamos mais de 95% da vida no piloto automático. Por exemplo, quando dirigimos um carro, de repente notamos: "Nossa! Já passou mais de meia hora?" Este é nosso cérebro no piloto automático. Outro exemplo: muitos que me assistem agora estão com o piloto automático ligado. E eu sei quais de vocês estão. (Risos)
03:35
Quando o seu cérebro está no piloto automático, você experimenta o que cientistas chamam de miopia mental, também conhecida como visão estreita. Ter a vista estreita pode ser um problema, pois a pessoa pode não notar a sua própria performance. Essa é a razão pela qual muitas pessoas passam a vida agindo como corredores de carro medíocres que dirigem e olham no espelho retrovisor vendo os seus competidores e eles estão tão atrás dos outros que pensam que estão na frente. (Risos) Ou seja, senhoras e senhores, só olhamos pra dentro da caixa. A caixa é uma boa metáfora. Deixa eu desenhar uma caixa. Se olharmos com atenção para a caixa, vemos que os seus limites são muito bem definidos. Pensamos dentro de limites. Vou dar um exemplo a vocês. Um dos limites é o legal, e então pensamos seguindo esta norma. Vou dar um exemplo: poucos de vocês pensam em roubar a carteira da pessoa ao lado para financiar a sua nova "startup".
04:49
Ao menos é o que eu espero. Esbarramos em limites legais, mas existem outros limites também. Esbarramos em limites tecnológicos, limites físicos, e também em limites morais. Essa é a razão de pensarmos somente dentro da caixa. Ao menos, é o que achamos. Na realidade a caixa em que pensamos se parece mais com esta aqui. Os sentados no fundo da sala não conseguem ver, pois é uma caixa muito pequena. (Risos) Deixa eu ilustrar o quanto esta caixa é pequena. Por exemplo, se eu dissesse: "Vamos comer algo hoje, escolher algo para jantar, que opções teríamos?", provavelmente você diria: "Podemos pedir uma pizza, ir a um restaurante ou cozinhar algo", essas seriam algumas ideias. E acho que muito poucos aqui levantariam a mão e diriam: "Vamos até a estrada mais próxima, pegamos um animal morto na rodovia e preparamos um maravilhoso jantar". (Risos) Que ideia horrível! Mas é interessante notar
06:04
que para muitos neste mundo, isto seria uma coisa muito normal. Perfeitamente aceitável. Isso demonstra que a caixa na qual pensamos é na verdade muito pequena. Se você observar só sua empresa ou seu campo profissional, você estará pensando dentro de uma caixa pequena também. Os limites desta caixa são chamados padrões industriais, ou normas industriais. Por examplo, se você está no ramo de restaurantes, então o padrão esperado é que pessoas cheguem no seu estabelecimento, comam e então paguem. Esse é o padrão, todo mundo faz assim. Outro exemplo, caso esteja no ramo bancário, a norma é que seus clientes lhe deem seu dinheiro, você agradece e então você dá o dinheiro a outros. (Risos) Verdade, assim são os bancos! Esses são os padrões, as normas industriais e profissionais. Tem algo que você precisa saber: a palavra "norma" é a abreviação de "normal". Ou seja, se você fizer o que todo mundo faz, não espere resultados diferentes. Estes são os resultados "normais".
07:13
Mas na verdade estamos atrás de resultados extraordinários. A pergunta-chave então é: "Como sair de dentro desta caixa?" Sair desta caixa pequena do seu ramo e do seu campo profissional e mudar para um lugar feliz, onde inovação acontece. Como fazer isso? Deixa eu contar para vocês o curioso caso dos taxistas londrinos. Se você quiser se tornar um taxista em Londres, você precisa conhecer toda a cidade, e isso se chama conhecimento. Adquirir este conhecimento todo leva anos. Isso é um problema se você quiser ampliar o seu negócio de táxis. Então eles se perguntaram: "Como expandir nosso negócio rapidamente ao mesmo tempo que empregamos motoristas que desconhecem a cidade de Londres?" A solução foi muito inteligente. Eles pensaram em criar dois tipos de táxis: o táxi normal, e outro tipo de táxi que tinha um adesivo na porta: "O motorista deste veículo não sabe nada...
08:22
(Risos) ...a respeito da cidade de Londres, mas adoraria que você o guiasse". A solução foi brilhante pois atraiu todas aquelas pessoas que moravam em Londres e conheciam a cidade muito bem e que finalmente, finalmente, finalmente poderiam brincar de ser o chefe no táxi. (Risos) Brilhante! Senhoras e senhores, esta história parece muito engraçada, mas sua mensagem é forte. Pois com ela descobrimos que resultados extraordinários acontecem com inovação, quando pessoas decidem finalmente quebrar padrões da sua indústria ou campo profissional. Vocês veem isso repetidas vezes. Por exemplo, se você está no negócio de móveis e um dia você decide não montar mais os móveis para os seus clientes, dessa maneira surgiram companhias como a IKEA. Outro exemplo, se tivesse no ramo de computadores e decidisse não vender mais computadores em estabelecimentos comerciais,
09:31
dessa maneira surgiram companhias como a Dell. Senhoras e senhores, isso demonstra que existe lógica na insanidade. E entendendo que a maioria está sempre errada, quando se trata de alta performance, finalmente você tem a oportunidade de parar de consertar coisas e começar a inovar em massa. Senhoras e senhores, o imperador romano, Marco Aurélio, uma vez disse que o objetivo da vida não é ficar do lado da maioria, mas o objetivo da vida é escapar de todos e se juntar aos clinicamente insanos. Se você faz o que a maioria faz, não estará se destacando do rebanho e estará provavelmente preso. Quando tratamos de alta performance a maioria está sempre errada. Isso é o que sabemos. Sabemos que 3% das pessoas atingem resultados extraordinários. Cada um de vocês pode fazer parte destes 3% decidindo, a partir de hoje,
10:44
quebrar seus padrões industriais e quebrar suas normas industriais. A alternativa é muito clara: faça parte dos outros 97% que trabalham para aqueles 3%. (Risos) A partir de hoje, esta escolha é só sua. Muito obrigado. (Aplausos)

DOWNLOAD SUBTITLES: